SÃO BARTOLOMEU CONVIDA

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #1
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #1

A Festa de São Bartolomeu da Foz do Douro remonta à segunda metade do século XIX. Inicialmente era uma romaria que trazia à Foz os lavradores das redondezas, onde apresentavam os produtos agrícolas da época (melancias, melões e batatas) numa feira que se mantém viva ainda hoje.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #2
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #2

O banho santo era praticado no dia de São Bartolomeu (24 de Agosto), dia em que o diabo anda à solta exceto no mar. Dizia-se, e diz-se, que um banho no mar abençoado pelo Santo vale por sete (sete anos de proteção contra a doença e a morte). Ora a Foz era uma zona, já em finais do século XVIII, de banhos terapêuticos. Pretendia-se que estes banhos resolvessem uma série de maleitas e eram prescritos pelos médicos da Cidade. No dia de São Bartolomeu ganhavam outro vigor. Deviam ser tomados em ondas de número ímpar, já que estes números são pontiagudos, penetrantes e assim tornariam o banho mais eficaz.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #3
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #3

O ponto alto da Festa de São Bartolomeu da Foz do Douro é sem dúvida o Cortejo do Traje em Papel. Realiza-se hoje, se a meteorologia o permitir, no último domingo de agosto, embora o dia do Santo seja celebrado a 24, com uma missa na Igreja de São João. Embora esta Festa tenha traços religiosos simbólicos, a sua origem e a sua dinâmica são profanas.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #4
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #4

A presença dos trajes em papel nas comemorações vem desde a década de 60 do século XX, em moldes semelhantes aos que vemos hoje, um cortejo que desfila pelo Passeio Alegre e que vai desembocar na Praia do Ourigo ou do Caneiro. Reúne em séquito pessoas de todas as idades, homens e mulheres e crianças. Nem sempre foi assim. Joaquim de Sousa Picarote é apontado por todos como o grande responsável desta iniciativa ter vingado. Era um simples mestre de obras, mas tinha uma força de gigante. Conseguiu reunir muita gente em torno desta causa. Com ele, o cortejo passa a ser universal e não apenas uma coisa espontânea da parte de alguns homens.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #5
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #5

Nas origens do Cortejo do Traje em Papel podem-se apontar duas situações mais remotas e que ter-se-ão encontrado algures num ponto. Falo de um ritual dos pescadores da Cantareira, que quando atravessavam pela primeira vez a linha do Equador, no mar alto, enrolavam-se em papel ou cartão que se encontrava nos porões dos barcos e nestes preparos eram lançados ao mar. Um batismo de pescador; Falo também da despedida em festa da época balnear na Foz, a chamada Festa do Banheiro, em que os moços da Foz apareciam na praia, vestidos com roupas antigas a simularem casamentos ou batizados. Algures no tempo estas duas situações ligaram-se e alguém terá surgido na praia, para a Festa do Banheiro, vestido de papel. E assim se terá lançado à água iniciando uma já longa tradição.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #6
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #6

Em tempos mais recuados, as receitas para o Cortejo eram angariadas através de comissões que batiam de porta em porta. As pessoas increviam-se livremente no Cortejo e cabia-lhes a elas a responsabilidade dos fatos. Quem tivesse na família alguém com dotes para a costura, estava a salvo. Senão, também existiam muitas modistas e costureiras, e alfaiates que davam a sua ajuda.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #7
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #7

Hoje, ainda resistem algumas modistas e costureiras a trabalhar para o desfile. Trabalho voluntário ao longo de meses, nas sedes das associações que se encarregam de organizar os respetivos quadros. Algumas chegam a levar para cima de sessenta pessoas, todas vestidas em papel, dos pés à cabeça.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #8
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #8

Já não existem comissões de festa, tem sido a Junta de Freguesia da Foz do Douro a patrocinar os materiais envolvidos na confeção dos fatos. Este papel de mecenato da Junta remonta ao anos noventa do século XX. As festividades prolongam-se numa feira de artesanato que ocupa o Jardim do Passeio Alegre.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #9
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #9

Os temas são escolhidos no início de cada ano entre as associações, em coordenação conjunta para que não haja sobreposição de quadros, e o Cortejo nos possa encantar na sua diversidade colorida. Em 2012, participaram:

  • Academia de Danças e Cantares do Norte de Portugal
  • Orfeão da Foz do Douro
  • Centro Operário de Cultura e Recreio da Foz do Douro
  • Fragatas Futebol Clube
  • Associação de Pais da EB1 São João da Foz
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #10
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #10

Esta tradição pode um dia acabar, é mantida devido ao esforço das muitas pessoas envolvidas neste trabalho. Os mais novos gostam de desfilar, mas o trabalho exigente da confeção dos trajes ainda é realizado pela geração que conviveu de perto com Joaquim de Sousa Picarote e com os primeiros cortejos organizados de que há memória.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #11
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #11

Em 2014, devido à união de freguesias na Cidade, a Junta de Freguesia que apoiava esta iniciativa já não existe de forma independente, mas o Cortejo vai resistir devido à resiliência de algumas associações e  já há data para o evento principal destas Festas de São Bartolomeu: 24 de agosto, coincidindo com o aniversário do martírio do Santo. E mais uma vez vamos assistir ao sacrifício de longos meses de trabalho em prole das benesses de São Bartolomeu. Todos os caminhos irão entroncar no mar, onde os trajes se desfazem em mil cores e o corpo se purifica na proteção do Santo.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #12
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #12
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #13
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #13

Uma exposição que esteve patente na Biblioteca Municipal Almeida Garrett em maio de 2013 foi São Bartolomeu Convida, uma parceria entre a Câmara Municipal do Porto e a Junta de Freguesia da Foz do Douro. Aqui mostraram-se fotografias de Manuel Magalhães ao Cortejo de 2012, alguns trajes e acessórios de cortejos anteriores, e um pequeno filme com entrevistas às Associações que participaram neste Cortejo. Convido-vos assim a rumarem à Foz do Douro para assistirem a mais um momento único, e a banharem-se nas águas impolutas e abençoadas pelo Santo. Logo pela manhã, bem cedinho, todos os caminhos da Cidade levar-nos-ão ao Passeio Alegre, para mais um domingo de São Bartolomeu.

São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #14
São Bartolomeu Convida/Manuel Magalhães #14
Anúncios